Dor nos braços, ombro, bursite, LER

Clínica tratamento dor, dor crônica, dor de cabeça, estresse, stress, cefaleia, insônia, enxaqueca, queimação nas pernas e pésAs dores nos braços e ombros podem ter diversas origens. Pode ser consequência de uma compressão de um nervo ou da medula espinhal da coluna vertebral na região cervical. Pode ser por um traumatismo agudo ou crônico de alguma das estruturas que compõem essas regiões, ou seja, músculos, tendões, articulações, nervos, vasos sanguíneos e pele. Pode ser por degeneração dessas estruturas provocadas por má postura, pelo desgaste natural do uso/tempo, pelo excesso de atividades físicas ou pelos movimentos repetitivos gerados no exercício de algumas atividades, sobretudo laborais.

Antes de começar tratar qualquer dor, sempre é necessária uma avaliação médica para se identificar a causa. Nos casos de dores crônicas, que são dores contínuas, com duração superior a três meses, muitas vezes o quadro doloroso persiste mesmo que o problema que originou a dor tenha desaparecido.

O diagnóstico deve ser feito com base na história clínica do paciente e no exame físico. Às vezes são necessários exames de imagem ou laboratoriais. Nunca um médico poderá deixar de considerar que a dor possa ter origem devido ao quadro psicológico do paciente.  A mente humana não está separada do corpo. Corpo e mente formam um conjunto indissociável, como bem diz uma expressão popular, “quando a mente sofre, o corpo padece”.

As alterações identificadas nos exames de imagem muitas vezes não são a causa da dor, e, sim, consequência. Explicando melhor: um tendão inflamado ou uma “bursite” podem ser secundários a um encurtamento muscular que gera tração nos tendões ou articulações e acabam gerando um processo inflamatório e dor. Nestes casos, não basta um tratamento com anti-inflamatórios, analgésicos ou fazer fisioterapia clássica (calor e frio locais, ultrassom, eletroestimulação cutânea e outras técnicas), pois se o problema da “tração” provocada pelo músculo contraído ou má postura continuar, o processo inflamatório no tendão e/ou nas estruturas que compõem a articulação não irá desaparecer.

Fonte: http://alecrim.med.br/